Prévia do New York Jets na temporada 2021 da NFL

Com o novato Zach Wilson no comando ofensivo e o novo treinador Robert Saleh, Jets esperam dar um grande passo em sua reconstrução


Depois de mais um ano abaixo das expectativas, o New York Jets coloca as fichas no talento do quarterback calouro Zach Wilson para voltar a brigar dentro da AFC East. Confira a prévia dos Jets em 2021!

Campanha dos Jets em 2020: 2-14
Principal reforço dos Jets para 2021: QB Zach Wilson
Principal ausência dos Jets em 2021: WR Breshad Perriman

Prévia do New York Jets em 2021: um recomeço esperançoso nas mãos de Zach Wilson e Robert Saleh

Os Jets estão em reconstrução novamente. Com um novo técnico, Robert Saleh, e um novo quarterback, a escolha número dois do de 2021, Zach Wilson, que tentará ter sucesso onde Sam Darnold, Christian Hackenberg, Geno Smith e Mark Sanchez falharam na última década.

Claramente, os Jets ainda estão muito longe de serem candidatos ao Super Bowl. Mas o general manager Joe Douglas – contratado após o draft em 2019 – deu alguns sinais encorajadores nesta última tentativa de reconstrução de um time que chegou aos playoffs pela última vez em 2010.

Esta temporada e a próxima serão cruciais para Douglas – em termos de construção de elenco e também para ver se Wilson pode ser ‘o cara’ do futuro. Sem dúvidas, Wilson precisará ser munido com um grupo melhor de bloqueadores e armas ao seu redor. Caso contrário, a seca de playoffs ativa mais longa da NFL continuará.

Será que Wilson é mesmo o ‘garoto de ouro’ para os Jets na posição mais valiosa do esporte? Conseguirá o expert defensivo Robert Saleh dar jeito em uma das piores defesas da NFL? Confira a prévia do New York Jets na temporada 2021 da NFL!

Veja também:

Reconstrução do ataque será liderada pelo novato Zach Wilson

Invevitavelmente, a reconstrução dos Jets passa pelas mãos de Zach Wilson. Ao contrário de Trevor Lawrence, ele não é tido como um ”prospecto perfeito” e deverá passar por duras experiências de aprendizagem no início de sua carreira.

Um ponto positivo para Wilson foi a contratação de um novo coordenador ofensivo, Mike LaFleur, que utiliza um sistema focado no jogo aéreo com passes curtos, rápidos e rotas que favorecem ao QB, algo similar com o que ele tinha no College em BYU.

No entanto, a linha ofensiva dos Jets continua sendo um ponto de interrogação – mais uma vez – com exceção do LT Mekhi Becton. Com pontos instáveis por toda a OL, o novato Alijah Vera-Tucker deve assumir a posição de LG, formando uma sólida dupla com Becton e oferecendo mais estabilidade ao grupo.

Principal contratação da equipe na free agency, Corey Davis chega com status de WR número um. Ainda assim, se Denzel Mims (uma escolha de segunda rodada no ano passado) não mostrar progresso, Wilson poderá ter problemas. Uma peça que pode surpreender é o calouro Elijah Moore, que deve atuar primariamente no slot.

A falta de um running back dominante pode ser uma preocupação, mas Tevin Coleman veio dos 49ers na free agency, então ele está familiarizado com o ataque de LaFleur e deve funcionar como a principal opção no backfield dos Jets.

>>Conheça a História do New York Jets

Guru defensivo Robert Saleh traz o esquema ‘4-3’ para os Jets

Novo treinador de New York, Robert Saleh é conhecido por montar grandes defensas. Ele foi fundamental na construção da ‘Legion of Boom’ do Seattle Seahawks e armou um grupo formidável como coordenador defensivo do San Francisco 49ers. Agora com os Jets, ele terá tempo para construir um grupo forte, mas logo de cara, Saleh transicionará para o esquema 4-3 em seu front seven.

Com um pass rush inconsistente, a equipe foi buscar o DE Carl Lawson na free agency. Assim, a linha defensiva de Saleh deve ser o grande ponto forte da equipe, já que Lawson se junta a Quinnen Williams, uma estrela em ascensão que teve sete sacks na última temporada.

C.J. Mosley está de volta para comandar o grupo de linebackers dos Jets e deve se beneficiar com a DL de quatro jogadores, que lhe dará mais espaços para usar sua visão de jogo e atletismo.

O grande ponto negativo da defesa é a secundária. Fora o safety Marcus Maye, nenhum outro jogador inspira confiança no torcedor. Muitos jovens selecionados em escolhas de final de draft nos anos recentes compõem o grupo, que deve ficar mais um ano entre os piores da NFL.

COMO APOSTAR NO NEW YORK JETS EM 2021

Ganhar o Super Bowl: paga R$ 101 para 1 segundo o Odds Shark
Ganhar a Conferência: paga R$ 51 para 1 segundo o Odds Shark
Ganhar a divisão: paga R$ 21 para 1 segundo o Odds Shark

VAI ATÉ ONDE?

Com um quarterback calouro longe de ser uma ‘resposta 100% certa’ e uma defesa esburacada, os Jets adicionarão mais um ano à sua sequência fora dos playoffs. Robert Saleh terá tempo para desenvolver seus esquemas e, principalmente, implementar uma cultura positiva no vestiário dos Jets, pensando nos anos futuros.

Prévia do New York Jets em 2021: 4º da AFC East (4-13)

    Matheus Puk

    Ex-estudante de jornalismo, Matheus escreve sobre suas maiores paixões: os esportes americanos.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Odds Shark Ad Bottom