Contagem regressiva Endzone Brasil – Charles Woodson

perfil 24 - woodson cópia

O vencedor do Heisman Trophy de 1997, superando Peyton Manning inclusive, Charles Woodson sempre foi um jogador regular. Mesmo nas temporadas que não foi Pro Bowler, de 2002 à 2007, quando ainda jogava em Oakland e depois quando foi para Green Bay, Woodson sempre manteve a regularidade. Seu impacto imediato em Oakland, e sua longa permanência em Green Bay mostram a importância desse nativo de Sebring, Ohio.

Desde o colégio Woodson já virava pescoços. Foi eleito o “Mr. Football” de Ohio em 1994, quando entrou para faculdade também foi eleito o calouro do ano de sua divisão. Seu talento não só como cornerback, mas também como retornador de punts, era notável, além de sua flexibilidade pra interceptações quase impossíveis.

Woodson também coleciona títulos. Até ele nenhum outro jogador de defesa havia ganho o prêmio maior dos jogadores universitários, o Heisman Trophy. Foi somente o terceiro de sua faculdade a ganhar prêmio, recebendo 282 votos a mais que Manning, segundo colocado. Além disso, possui diversos outros prêmios universitários, a maioria como jogador de defesa.

Tanta qualidade atraiu a atenção do Oakland Raiders, que o escolheu com o 4° pick do Draft de 1998. Seu impacto foi imediato: calouro do ano escolhido tanto pela liga quanto pela mídia, foi ao Pro Bowl e ajudou imensamente aos Raiders chegarem próximos da vaga de Wild Card. A parceria durou até 2005, mas já vinha abalada desde 2003, quando criticou abertamente o técnico da época. Depois disso, diversas lesões o impediram de ficar em campo por muito tempo, começando apenas 19 de 32 jogos.

De saída dos Raiders, Woodson assinou com o Green Bay Packers, num contrato de sete anos, que cumpriu até o final. Foi em Green Bay que ele voltou a ganhar o prêmio de melhor jogador defensivo da liga em 2009, quando também alcançou nove interceptações numa única temporada. Em 2010, ano em que ganhou o SB, ele também foi selecionado para o Pro Bowl.

Em 2013, Woodson retornou para o time que o selecionou originalmente, dessa vez como free safety, reconhecendo que sua velocidade já não é mais a mesma. Porém, continua sendo um jogador ativo, participando na imensa maioria dos snaps defensivos de Oakland e ainda empatando o recorde de TDs marcados por jogadores de defesa. Ele volta para mais um ano, tentando se isolar na liderança desse ranking. É dele a responsabilidade de ser o cérebro desse time, é o líder que Oakland precisa para voltar a pensar em playoffs.

    Alessandro Moletta

    Cientista social do Rio de Janeiro, Alessandro Moletta é repórter do Endzone Brasil

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Odds Shark Ad Bottom