Necessidade dos times para o período de free agency – NFC

Continuando a análise, agora os times da NFC:
  

NFC North

Chicago Bears: linha defensiva. Sim, eu sei que a posição de safety é um problemão na Cidade dos Ventos, mas na NFL atual, pressionar muito o QB adversário é obrigatório se quiser vencer um jogo. Além do mais, quanto mais pressão, menos a secundária trabalha.  Lesões a parte, o time foi o que menos conseguiu sacks ano passado (31). O ótimo DT Henry Melton entra nesse período como free agent, isso também deve entrar na equação.

Detroit Lions: wide receiver. Com a dispensa de Nate Burleson, que já não era nenhuma maravilha, Detroit precisa com urgência de um recebedor experiente para jogar ao lado de Calvin Johnson, ponto. Certamente o time buscará jovens WRs no Draft, mas nenhum deles conseguirá assumir o posto de titular e dar a segurança que Matthew Stafford precisa logo de cara. Nomes como James Jones, Emmanuel Sanders e Golden Tate podem desembarcar em Detroit a qualquer momento.

Green Bay Packers:
linha defensiva. A filosofia do general manager Ted Thompson é de desenvolver os jogadores escolhidos no Draft, dificilmente os Packers abrem os cofres para contratar um free agent disputado no mercado. Ele deve seguir a linha de raciocínio e renovar com alguns de seus atletas que estão no mercado, são quatro da linha defensiva como free agents:
Ryan Pickett, Johnny Jolly, B.J. Raji e C.J. Wilson. A posição de tight end também é prioridade.

Minnesota Vikings: cornerback. Minnesota precisa de reforços em praticamente todos os setores da defesa, especialmente jogadores mais adaptados ao novo esquema do técnico Mike Zimmer. A boa notícia é que o time está com um bom dinheiro para se reforçar. Sei que falta talento na posição de linebacker, mas com a possível saída de Chris Cook, que não joga bem faz tempo, os Vikings precisam de um CB experiente para jogar ao lado dos jovens Xavier Rhodes e Josh Robinson. 
 

NFC South

 
Alanta Falcons: defensive tackle. Na verdade a maior preocupação é na linha ofensiva, mas é certo que Atlanta vai usar a sexta escolha geral do Draft para reforçar o setor. O time também já assinou com o veterano Gabe Carimi, dispensado dos Buccaneers. Os Falcons foram o segundo pior time em sacks, Mesmo após a renovação com Corey Peters, o time precisa com urgência melhorar o setor.

Carolina Panthers: wide receiver. A situação financeira está longe de ser confortável, muitos jogadores talentosos estarão livres no mercado, a maioria não deve voltar. Como o buraco deixado com a aposentadoria do LT Jordan Gross  deve ser preenchido com o Draft, os Panthers precisam com urgência de alvos para Cam Newton lançar. O futuro de Steve Smith ainda é incerto, e os WRs
Domenik Hixon, Brandon LaFell e Ted Ginn Jr. são free agents.

New Orleans Saints: secundária. New Orleans não deve fazer loucuras, principalmente porque  prioridade é dar um contrato longo para o TE Jimmy Graham. Entretanto, o time deve fazer contratações pontuais para repor os jogadores cortados da secundária. Dois bons titulares da linha ofensiva são free agents. Se Charles Brown e Brian De La Puente não renovarem, linha ofensiva passa a ser prioridade número um nos Saints.

Tampa Bay Buccaneers: defensive end. Como o jovem Mike Glennon ainda é uma incógnita, seria injusto dizer que a maior carência do time é um quarterback. Enquanto Glennon tem todo um traning camp para mostrar seu valor, os Bucs devem reforçar seus defensive ends, posição crucial no esquema do novo técnico, Lovie Smith.

NFC East

Dallas Cowboys: linha defensiva. Com pouco dinheiro para gastar, os Cowboys não devem fazer barulho no período de free agency. DeMarcus Ware pode sair se não aceitar a redução salarial, os titulares Jason Hatcher e Anthony Spencer são free agents… Se todos os três deixarem os Cowboys, o time precisará de vários novos nomes na posição. A linha ofensiva também é prioridade, deve ganhar reforços no Draft.

New York Giants:
linha ofensiva. Seja no Draft ou via free agency, Eli Manning precisa com urgência de proteção. David Diehl se aposentou, David Bass, Chris Snee e Will Beatty voltam de lesão, além da possível saída do guard Kevin Boothe, que é free agent. Além da linha, linebacker é outra posição carente do time.

Philadelphia Eagles: safety. Desde a saída de Brian Dawkins, Philly não tem um playmaker na posição de safety. Os limitados Nate Allen, Kurt Coleman e Colt Anderson são free agents, sinal que o time planeja reformular o setor. Nada mais justo, visto que Philadelphia teve a pior defesa contra o passe da NFL. Se buscar nomes como T.J. Ward ou Jairus Byrd no mercado, o que é pouco provável devido ao custo elevado, os Eagles devem suprir as necessidades de um pass-rusher e um cornerback no Draft. Contratar um kicker experiente e competente também é muito falado na Cidade do Amor Fraternal.

Washington Redskins: linebacker. Quando um time entra no período de free agency com quatro LBs livres no mercado, claro que a posição se torna prioridade, ainda mais depois da aposentadoria do ótimo London Fletcher. Os Redskins chegam com bastante dinheiro para gastar, o que compensa um pouco o fato de não ter a primeira escolha no próximo Draft. Wide receiver, linha ofensiva e safety também são prioridade.
 

NFC West

 
Arizona Cardinals: offensive tackle. O LT inexperiente Bradley Sowell teve uma temporada abaixo do esperado. Do outro lado, o RT Eric Winston é free agent e pode não retornar a equipe. Uma das vagas deve ser preenchida no Draft, a outra possivelmente em aberto deve ser prioridade em Arizona.  O time também deve tampar os buracos deixados pela provável saída do WR Andre Roberts e da surpreendente aposentadoria do RB Rashard Mendenhall, de apenas 26 anos.
St. Louis Rams:  wide receiver. Como a secundária deve ser abastecida com pelo menos uma das duas escolhas de primeira rodada do Draft, os Rams devem se esforçar para contratar um confiável e experiente wide receiver no mercado. Há algumas boas opções disponíveis, o problema é que St. Louis não tem muito dinheiro para gastar.

San Francisco 49ers:
  secundária. A escolha aqui é pelo que pode vir a acontecer, pois três bons nomes da secundária são free agents: os CBs Tarell Brown e Eric Wright, além do safety Donte Whitner. Se perder pelo menos um desses nomes, a reposição terá que ser pelo menos a altura. Como o time trabalha na extensão de contrato do QB Colin  Kaepernick, certamente não cometerá loucuras com o dinheiro que possui.

Seattle Seahawks:
linha ofensiva. O principal já foi feito, renovar com Michael Bennett antes que ele entrasse no mercado. Agora o time pode voltar sua atenção ao ataque, que teve seus altos e baixos durante a temporada. Além de substituir as possíveis saídas deBreno Giacomini e Paul McQuistan, uma ajuda no setor cairia muito bem. Mesmo se houver uma renovação de contrato com Golden Tate, os atuais campeões do Super Bowl precisam olhar a posição de wide receiver com carinho, visto que Percy Harvin costuma não ficar saudável.

    Matheus Filippi

    Jornalista de Jundiaí e apaixonado pela NFL, Matheus Filippi é fundador e editor-chefe do Última Jarda

    2 thoughts on “Necessidade dos times para o período de free agency – NFC

    • 12 março, 2014 em 2:27
      Permalink

      Boas movimentações para a NFC nesse primeiro dia

      Resposta
    • 20 março, 2014 em 2:28
      Permalink

      Charles Brown foi muito criticado nos ultimos jogos e Armstead mostrou potencial, os Saints não vão nem fazer oferta pelo Brown. O único problema na linha ofensiva é a possível saída de De La Puente, pois o time não tem um bom substituto e teria de buscar um no Draft, já que o caixa não permite mais gastança no FA.

      Resposta

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Odds Shark Ad Bottom