Chances para revanches do New Orleans Saints

Superdome: abrigo para os moradores de New
Orleans durante o Katrina (Wheresourmoney)
A história do New Orleans Saints sempre foi marcada por camapanhas ruins e baixo aproveitamento de vitórias.  Isso até o ano de 2006. Naquela temporada, os jogadores se tornaram guerreiros e representantes de uma cidade. O furacão Katrina devastou New Orleans em 2005, deixando milhares de mortos e outros milhares de desabrigados, que durante quase um ano tiveram tiveram como casa o Superdome, casa dos Saints.
Após uma temporada ruim jogando fora da cidade, com apenas três vitórias e treze derrotas, os Saints retornaram para casa e, a partir de então,  liderados por Drew Brees, se tornaram mais fortes como nunca. O título não veio na primeira temporada após a catástrofe em New Orleans.  Na verdade, em 2006, bateu na trave e o time acabou caindo na final da conferência para o Chicago Bears, que mais tarde veio a perder o Super Bowl para os Colts, mas a semente estava plantada.
O fruto foi colhido em 2009. Após duas temporadas sem chegar aos playoffs, os Saints tiveram o seu Super Bowl contra os Colts e saíram vitoriosos. Na decisão em Miami, Brees e companhia venceram oIndianapolis Colts por 31 a 17.
Depois da conquista, a franquia do estado da Louisiana sofreu duas derrotas marcantes nos playoffs, que evitaram a repetição do título pelos Saints.
Primeiro o algoz foi o Seattle Seahawks, que venceu o Wild Card Game nos playoffs da temporada 2010 por 41 a 36 – quem não se lembra da corrida histórica de Marshawn “Beast Mode” Lynch?!
No ano seguinte, novamente um time da NFC West, novamente fora de casa. Contra o San Francisco 49ers, os Saints tiveram a vitória nas mãos por duas vezes, mas viram ela eacapar em passes e corridas de Alex Smith, que em tarde inspirada, derrotou Drew Brees no Candlestick Park.
Depois de quebrar um tabu de nunca ter vencido fora de casa nos playoffs, New Orleans ganha força para enfrentar duas possíveis revanches e de times que estão entalados na garganta do torcedor dourado e negro: uma é garantida e a outra pode acontecer.
Brees e Graham: esperança
dos Saints (Cajunradio)
No Divisional Round, os Saints terão a dura tarefa de retornar a Seattle para encarar os Seahawks. Se por um lado o time da casa só perdeu um jogo em casa nas duas últimas temporadas, do outro os visitantes não terão mais a pressão de jogar sem uma vitória longe da torcida nos playoffs.
Com um “empate” no duelo motivacional, os Saints carregam essa derrota e isso pode ser usado a favor, já que a maioria do elenco estava presente naquele jogo. No entanto, uma peça importantíssima para o duelo de 2014 não estava naquele jogo: o TE Jimmy Graham. Líder do time em recepções e jardas, Graham não ajudou os Saints naquele jogo, mas é peça fundamental para Drew Brees.
Caso passe pelos Seahawks, a equipe de New Orleans poderá ter uma segunda revanche e o adversário da vez seria o San Francisco 49ers, caso o time da Califórnia passe pelos Panthers. Nos playoffs da temporada de 2011, mesmo com grande atuação do setor ofensivo, os Saints acabaram perdendo para os 49ers em um dos jogos mais sensacionais da história dos playoffs da NFL. Por 36 a 32, o time caiu no Candlestick Park e deu adeus ao sonho de voltar ao Super Bowl. Nem mesmo as 462 jardas aéreas de Drew Brees e os quatro touchdowns foram suficientes.
A vitória sobre os Eagles, na Philadelphia, deixou o torcedor dos Saints confiantes para o duelo contra os Seahawks, ou um possível duelo diante dos 49ers e até mesmo uma partida contra o rival de divisão, Carolina Panthers.

Belorizontino de nascimento, jornalista por opção
e fã da NFL, Rafael Araújo é o criador do @NFLBrasil.

  

    Última Jarda

    Time Última Jarda - as principais notícias do mundo da NFL estão aqui!

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Odds Shark Ad Bottom