Arizona Cardinals, o cavalo paraguaio da NFL

O “Cavalo Paraguaio” é uma gíria utilizada no futebol brasileiro para designar equipes que tenham uma boa atuação no começo de um campeonato e a seguir decaem de modo a serem superados pelos demais.

Não existe melhor definição para o Arizona Cardinals na temporada 2012 da NFL. Tá certo que ninguém esperava muito dos pássaros do deserto no início da temporada. O time sonhou com Peyton Manning e acordou com J. Skelton e K. Kolb dividindo a posição de quarterback.

Apesar de muita desconfiança, o time começou com uma boa vitória na estreia. Um TD no fim do jogo garantiu o triunfo pra cima dos Seahawks. Na semana seguinte, talvez a grande zebra da temporada até aqui. Os Cardinals foram até New England e venceram os Patriots por 20 a 18, deixando todos assustados.

Nas duas semanas seguintes, vitórias sobre Eagles e Dolphins, as duas no Arizona, colocaram o time em um patamar jamais imaginado na temporada. Grande parte disso em função da defesa, que nos quatro primeiros jogos não cedeu mais que três TDs em nenhuma partida.

A defesa voando na temporada e o ataque tranquilo, sem comprometer o time, iam garantindo as vitórias e a surpreendente invencibilidade até a semana 5. Junto com Arizona, só Atlanta e Houston seguiam sem perder.

Eis que chegou a semana 5 e desde então os Cardinals não sabem o que é vencer. Depois de perder o Thursday Night Football do dia 04 de outubro para os Rams, o time desandou.

Kolb machucou, Skelton não passava nenhuma confiança e o time foi acumulando fracassos. Da semana 5, quando veio a primeira derrota, até a semana 9, uma antes do time descansar, foram cinco derrotas e nenhum jogo marcando mais de 20 pontos – sendo que em dois deles os Cards conseguiram apenas um FG.

Após o descanso, mais quatro derrotas e uma média de APENAS 10,9 pontos por jogo. Depois de um jogo de doer os olhos na semana 13, quando perdeu para os Jets por 07 a 06, os Cardinals enfrentaram o Seattle Seahawks, fora de casa, e tomaram 58 a 0.

Sobrou até para o rookie Ryan Lindley tentar comandar o ataque, mas acabou passando vexame. Coitado do Larry Fitzgerald, que é um dos melhores da liga, mas não recebe bons passes e tem apenas 652 jardas recebidas nesta temporada.

Nas nove derrotas seguidas foram 15 interceptações sofridas e sete fumbles perdidos, contra oito touchdowns do ataque.

De surpresa da temporada a vergonha do ano, os Cards ainda tem três confrontos complicados até o final da temporada, mas o único objetivo do time é tentar não ser humilhado novamente.


Belorizontino de nascimento, jornalista por opção 
e fã da NFL, Rafael Araújo é o criador do @NFLBrasil.

    Última Jarda

    Time Última Jarda - as principais notícias do mundo da NFL estão aqui!

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Odds Shark Ad Bottom